12/11/2020
|
E-commerce

E-commerce na prática!

O e-commerce é algo cada vez mais comum na vida dos brasileiros. Executar um e-commerce na prática não é algo fácil, e, por isso, viemos trazer dicas e informações fundamentais na hora de desenvolver o seu.

E-commerce na prática!

Antes de mais nada, precisamos definir para você o que é e-commerce. Bom, segundo o pai do marketing, Phillip Kotler, e-commerce na prática, pode ser definido como um termo geral para o processo de compra e venda de produtos no meio eletrônico. Geralmente, é utilizado loja virtual para fazer a transação ou facilitar a venda de produtos ou serviços na internet. No entanto, podem ser utilizados redes sociais também, como o Instagram ou Facebook. Na prática é toda transação monetária feita na internet.

O e-commerce e negócios feitos pela internet são modelos de negócios vantajosos, principalmente para as pequenas e médias empresas. Pois, os empreendedores podem economizar no custo de um espaço físico, funcionários e mostruário e, além disso, podem lucrar fazendo vendas de baixo volume para mercados de nicho.

Existem 3 variáveis de transação para a diferenciação entre e-commerce na prática:

  1. Interação do cliente com o site;
  2. Entrega;
  3. Capacidade de resolver problemas quando ocorrem.

Como disse, e-commerce é um modelo de negócio, uma estratégia de marketing com alguns benefícios (já citados anteriormente). Por isso, podemos diferenciar entre empresas inteiramente virtuais e empresas virtuais e reais (brick-and-click).

Empresas inteiramente virtuais

São empresas que nascem com o modelo de negócio e-commerce, com site ou rede social, sem nenhuma operação tradicional, com espaço físico. Dentro delas estão, sites de busca, provedores de serviços de internet, sites comerciais, sites de transação, sites de conteúdo, sites educacionais. A Uber por exemplo, é uma empresa inteiramente virtual, assim como a Airbnb.

Empresas virtuais e reais (brick-and-click)

Brick-and-click significa tijolo e clique, o que quer dizer: empresas (construções) e cliques (com operação na internet). Há pouco tempo atrás as empresas físicas estavam em dúvida quanto à adesão da estratégia online. No entanto, a pandemia (COVID-19) “tirou” essa dúvida da cabeça dos gestores além de acelerar a digitalização das empresas. Afinal, utilizar a internet para vender faz toda a diferença para ter mais presença de mercado.

Além do mais, é preciso pensar bem na estratégia quando se tem um lugar físico, pois, no e-commerce na prática, o físico e o on-line devem estar muito bem integrados. Isto é, o que se comunica na internet, deve ser praticado no físico também. Além disso, algumas empresas separam a operação físico do on-line, mas mantém a mesma marca. O consumidor não quer saber se a operação é diferente, a marca é a mesma, portanto, subentende-se que é a mesma empresa. Então, se no site você cobra R$ 900,00 em um celular, tem que se praticar o mesmo preço. Também é preciso se atentar a disponibilidade dos produtos na loja física, às vezes o consumidor vê um produto no site e vai na loja para comprar, pois ele quer consumir o produto na hora e não esperar o prazo de entrega. Sendo assim, é preciso se esforçar para ter o produto sempre disponível para o cliente, afinal, se você não tiver, talvez seu concorrente tenha.

Fatores de Sucesso do E-commerce na prática

É necessário cuidado ao aderir ao modelo de negócios de e-commerce na prática. Para que dê certo, toda a operação deve ser voltada ao atendimento ao cliente. Quando falamos d e-commerce na prática, tudo está resumido em como melhorar a experiência do usuário quando ele estiver navegando no seu site.

Alguns detalhes técnicos do site devem ser corrigidos para que você ofereça uma boa experiência para o seu cliente potencial: o e-commerce na prática precisa ter uma velocidade de carregamento boa, o site deve ser simples e amigável, você deve se atentar a usabilidade do site (ele é fácil de usar? As pessoas conseguem encontrar as informações ou botões que precisam facilmente?), melhorar a experiência de compra/transação (imagine que seu cliente selecione um ou mais itens para comprar, mas não consegue efetuar a transação), ter interação social no site, experiências prazerosas, contato com um representante da loja, e a segurança do site (ele deve ser confiável e seguro).

Como criar um E-commerce na prática?

Para criar um e-commerce na prática é necessário seguir um passo a passo de 6 etapas. Cada etapa deve ser seguida para a criação de uma plataforma de e-commerce na prática. Como mencionado anteriormente, e-commerce é um negócio eletrônico em que as transações (compra e venda) são feitas através de meios eletrônicos, como sites ou aplicativos.

Planejamento

O primeiro passo é ter um plano de ação. Se você quer ter sucesso, é impossível pular esse passo do processo. O planejamento de um e-commerce na prática é necessário para ter noção do que é viável ou não, do que dá para colocar no site ou não dá para colocar no site, de acordo com os recursos que você tem. E com recursos eu não quero dizer só dinheiro, existe tempo, mão de obra, etc.

O planejamento começa na segmentação do mercado, ou nicho, em que você quer atuar e definição de público alvo. Se especialize em um segmento de mercado e evite competir com grandes empresas.

Vá atrás de alguns fornecedores de produtos e veja qual daqueles vai te entregar a melhor oferta. Se atente ao preço dos produtos para que no futuro você tenha uma boa margem, mas o preço não é tudo! Verifique o prazo de entrega, qualidade dos produtos, variedade, marca, embalagens, etc. Tente construir um relacionamento bom e duradouro com seu fornecedor, onde ambos os lados ganhem.

Estrutura

Tire o seu e-commerce do papel e coloque. Comece a colocar em prática tudo aquilo que foi planejado para “colocar a sua empresa de pé”. Vá ao fornecedor, ou fornecedores, escolhido para se cadastrar e comprar um PEQUENO estoque de produtos.

Monte a estrutura dos canais de promoção (promoção de vendas, propaganda, força de vendas, relações públicas e/ou marketing direto). Também é necessário montar a estrutura dos canais de distribuição (canais pelos quais o produto chega ao cliente, sortimento de produtos, estoque e transporte).

O objetivo é deixar a operação pronta para funcionar, seja ela o e-commerce e/ou loja física.

Canais de audiência

Uma das áreas mais importantes do e-commerce na prática. Aqui você vai fazer com que o mercado (pessoas que tenham poder de compra) te conheça. No entanto, você não quer que todos te conheçam, seria um desperdício de dinheiro. Você deve focar naquelas pessoas que fazem parte do seu segmento ou nicho de mercado. O seu público alvo.

É preciso que as pessoas conheçam sua marca, pois é impossível que as pessoas comprem algo de alguma empresa que elas não conhecem. Utilize os meios de comunicação em que seu público alvo consuma! Por exemplo, o produto que você vende é um creme para pessoas da terceira idade. Não é muito inteligente criar um Instagram ou até mesmo um Facebook para comunicar sua oferta, pois a terceira idade, geralmente, não sabe mexer em redes sociais. Sendo assim, eles não saberão da sua marca e você desperdiçará tempo e dinheiro.

O ponto é, saiba onde está seu público alvo para que eles saibam da sua oferta, vejam valor na sua oferta e desejem compra-la. Use e abuse do marketing digital.

Atendimento ao cliente

Nessa etapa você deve pensar como vai se relacionar com seus clientes. Não é só com seu fornecedor que você deve ter um relacionamento de longo prazo, com seus clientes também. Para criar um e-commerce na prática e ter sucesso, é preciso ter canais de comunicação para que seus clientes possam tirar dúvidas ou resolver eventuais problemas. Lembre-se, os e-commerce na prática competem em três aspectos de uma transação: interação do cliente com o site, capacidade de entrega, e capacidade de resolver problemas.

Utilize um e-mail profissional, Whatsapp, Instagram, Facebook, chat no site, etc. Tire um tempo do seu dia para responder todos os comentários das redes sociais e e-mails.

Venda

A venda é uma parte extremamente importante para o seu negócio, afinal se não vende, seu negócio está fadado a falhar.  É natural que elas aconteçam quando se faz cada uma das etapas anteriores da maneira correta. É preciso analisar de onde estão vindo as vendas (quais canais), qual produto tem a melhor margem, qual produto tem o maior giro, qual o tempo para repor o estoque, etc.

No e-commerce do Brasil, quando se começa, é muito comum que a transação seja efetuada por alguns meios de pagamento eletrônicos mais conhecidos, como: PagSeguro, MercadoPago, transferências ou vender através de marketplaces, por conta do baixo custo.

Impulsão

Em um e-commerce na prática, essa é a etapa na qual você escala o seu negócio. Aqui você vai utilizar ferramentas para impulsionar os produtos ou a sua marca para que mais pessoas a conheçam. Algumas ferramentas conhecidas é o Google Ads, para fazer campanhas de anúncios, Google Analytics, para analisar as campanhas, Facebook Ads e Instagram Ads. Esses são os mais utilizados, também, por conta do baixo custo.

Siga todas as etapas sobre e-commerce na prática e sempre meça suas ações, é extremamente importante para saber onde você está errando e deve parar de fazer ou alterar algumas coisas e onde você está acertando e deve investir mais.

SOBRE NÓS

A Digitalize Now é uma startup de Marketing Digital para pequenas empresas. Viemos trazer o mundo digital para aqueles que precisam dele, sem gastar muito.

SAIBA MAIS
SIGA-NOS

Quer fazer uma avaliação gratuita da sua empresa?

Muito obrigado! Em breve, entraremos em contato com você.
Oops! Something went wrong while submitting the form.